Acupuntura no combate à doença de Alzheimer

14/11/2011 17:24

 

 
Nenhum tratamento convencional tem conseguido retardar ou paralisar a progressão da doença até o presente momento. A mente aberta e atenta dos familiares e profissionais de saúde para novas abordagens terapêuticas é fundamental
 
Por: Dr. Márcio De Luna
Fisioterapeuta, acupunturista, presidente da Associação Brasileira de Acupuntura do Rio de Janeiro (ABA-RJ) e coordenador geral do Programa de Pós-graduação em Acupuntura do Instituto Brasileiro de Medicina Tradicional Chinesa (IBMTC)
 
Fale com o colunista
 
foto colunasEu me perdi de mim mesma”. Assim descreveu a Sra. Augustine D., sobre sua terrível doença, descoberta em 1906 pelo psiquiatra alemão Alois Alzheimer (1865-1915), quando, então, pela primeira vez, ele apresentou e descreveu para a comunidade científica o caso dessa sua paciente. De lá para cá, nesses últimos 105 anos, pouco progresso terapêutico se fez em relação à identificação exata das causas e de como tratar eficazmente essa tão devastadora doença mental. 

doença de Alzheimer (DA), também chamada de demência senil do tipo Alzheimer, ou demência degenerativa primária do tipo Alzheimer, é a demência mais comum, seguida da demência vascular. Sua prevalência aumenta conforme a população envelhece. 

A população mundial acometida por essa doença é estimada em 17 a 25 milhões de doentes. Em 2050, espera-se, aproximadamente, 106,2 milhões de novos casos de doença de Alzheimer no mundo. Os gastos anuais, por paciente, em países desenvolvidos, gira em torno de U$ 18.000,00 e nos países pobres esse valor cai para, absurdos, U$ 1.500,00 por ano, em média, ou seja, U$ 125,00 por mês. O que dá a quantia irrisória de R$ 223,75por mês (na cotação da moeda americana de Junho de 2011), menos da metade do atual salário mínimo vigente no nosso país. 

A Doença de Alzheimer pode ser classificada como precoce (familiar) outardia. A precoce, como o próprio nome diz, surge dos 35 aos 50 anos, conta de 5% a 15% dos casos. E a tardia, a mais comum, surge após os 65 anos. Há uma maior frequência da Doença de Alzheimer em mulheres. Quando não se consegue fechar o diagnóstico da doença de Alzheimer, classifica-se o quadro como síndrome demencial. 

Um fato bastante assustador da doença de Alzheimer é que as evidências científicas mostram que o início propriamente dito e as primeiras alterações da doença surgem 20 anos antes do diagnóstico clínico da doença.