GRATUITO Cinema na areia

28/03/2012 09:26
Divulgação
 

Clarissa Coli

Em contagem regressiva. Assim se definiu Ronald Almeida, coordenador do projeto MaréCheia de Cinema, que na próxima semana chega mais uma vez à praia de Ponta Negra, em Paraty. Entre os dias 5 e 8 de abril, o local recebe a 2ª Mostra MaréCheia de Cinema, que desta vez, além de uma rica seleção de filmes nacionais, terá pré-lançamento e oficinas de cinema. E o melhor: toda programação será gratuita e vai acontecer bem ali, na areia da praia. Confira a programação do evento.

Para proporcionar novamente à população da Ponta Negra - uma média de 300 pessoas - a experiência do cinema, o Coletivo João do Rio - grupo idealizador do projeto - optou pela exibição exclusiva de filmes nacionais, de curta e longa metragem e de animação. Os gêneros também são variados - apesar da predominância das temáticas ambientalistas entre as fitas. Ronald explica o motivo.

- A chegada dos turistas pode representar perigo para o lugar, à medida que geram lixo. Acreditamos que os moradores devem pensar em formas de receber o visitante de modo que isso não represente degradação ambiental - justifica.

O objetivo, segundo Ronald, é oferecer uma programação mais diversificada possível para que todos possam participar das sessões de cinema.

- São filmes livres para todas as idades, já que serão exibidos na areia da praia. Nossa ideia é que todos tenham contato com a linguagem cinematográfica - completa.

Do total de 30 filmes, oito são curtas, quatro são longas e 18 são filmes de animação. Entre eles, está "Cabeça Papelão", de Quiá Rodrigues, que faz pré-lançamento no festival. Tudo isso será exibido numa grande tela de 2,5 X 4 metros - tamanho de um telão de cinema comercial. Ela será montada numa faixa de areia de cerca 200 metros e, para funcionar, será ligada a placas de captação de energia solar e também a um gerador. É bom lembrar que a eletricidade das residências da Ponta Negra também é provida por um gerador.

- A tela não é do tamanho desses megatelões mais modernos, mas é maior do que a que usamos na primeira vez. Ela é proporcional à realidade local e necessidade. Não há por que levarmos um telão maior, já que ele demanda mais eletricidade. Isso não seria bom num local onde a energia elétrica não é tão abundante - considera Ronald.

Ainda falando sobre a estrutura, o coordenador calculou a expectativa de público para este ano. Cerca de 150 a 250 pessoas são esperadas nas areias de Ponta Negra este ano - número que deverá superar a primeira edição da mostra. Para Ronald, a mostra será mais do que uma boa opção para passar o feriado da Páscoa.

- São filmes novos, atuais e interessantes. As pessoas poderão ver a qualidade do cinema brasileiro e levar para casa uma lição de preservação ambiental. É papo cabeça e muito entretenimento - resume Ronald.

Atividades paralelas

Criada em 2006, a Ong Coletivo João do Rio é fruto da reunião de pessoas envolvidas de alguma forma com a sétima arte. São atores, diretores, produtores, que decidiram juntar seus talentos para realizar projetos culturais. A Mostra MaréCheia de Cinema foi uma ideia do próprio Ronald, presidente do grupo, quando estava de passagem por Paraty em janeiro de 2010.

- Estava na praia curtindo uma noite maravilhosa e comecei a imaginar um telão de cinema bem ali naquela areia. Poucas pessoas têm aparelhos de TV no local e pensei em como seria interessante levar filmes para os moradores - conta.

Ele voltou para casa, no Rio de Janeiro, mas não abandonou a ideia. Se articulou, fez contatos estratégicos e, três meses depois, voltou àquela praia com um telão e uma seleção de filmes para serem exibidos. Uma ação ousada, a primeira edição da mostra contou apenas com a ajuda da associação de moradores e nativos, e dos produtores, que cederam gentilmente as fitas para serem rodadas.

Ano passado, o grupo decidiu inscrever o projeto no Edital do Audiovisual, da Secretaria de Estado de Cultura e da Rio Filmes, do Rio de Janeiro. Resultado: entre quase 700 inscritos, o MaréCheia de Cinema foi um dos 64 contemplados.

- Com essa vitória, conseguimos organizar essa segunda edição, agora com esses patrocínios, coisa que não tínhamos antes e que nos impediu de realizar a mostra em 2011 - completa Ronald.

A ajuda enriqueceu ainda mais a mostra. Este ano, a programação inclui também as oficinas de cinema. Todos os dias, acontecerão duas: a AME - Arte, Movimento e Ecologia, com Pierre; e a Oficina de Cinema de Animação Máscaras Animadas. A primeira tem como um dos temas o tratamento correto ao lixo que é deixado na praia.

- Os participantes vão realizar um mapeamento das trilhas e fazer uma sinalização aos turistas a respeito do lixo. O material recolhido nesses trabalhos servirá de matéria-prima para a construção de uma maquete que ficará exposta na associação de moradores - adianta Ronald.

A oficina de animação vai mostrar aos participantes todas as etapas de produção de um filme de animação. Para isso, o próprio diretor Quiá Rodrigues vai produzir, junto aos aprendizes, um pequeno filme, que será exibido no último dia da mostra.

- Não temos a menor intenção de formar cineastas. Apenas queremos mostrar às crianças como se faz um filme de animação. Com material reciclável, eles criarão os personagens para fazer o próprio filme - completa o coordenador.

Outro ponto alto do evento vai acontecer no sábado. O Coletivo João do Rio vai promover em Ponta Negra, pela primeira vez, uma corrida de canoa caiçara. Ronald conta que essa, que é a principal característica do povo caiçara, é também uma demonstração da capacidade da tecnologia indígena. A ideia de uma prova assim, tão inusitada, veio observando a população local, formada em sua maioria, por pescadores.

- Será uma competição de canoagem na lindíssima enseada de Ponta Negra. E vai acontecer no sábado, em que as temáticas dos filmes são em geral relacionadas ao mar - completa.

Com a mesma ansiedade de quem espera o cinema à beira-mar, Ronald já conta nos dedos os dias que faltam para o início da segunda edição da mostra. Para ele, a realização do projeto promove uma troca mágica, em que todos saem ganhando.

- É uma produção bacana, generosa e muito legal de fazer. Eu ajudo a proporcionar a experiência do cinema para os moradores e eles respondem com um carinho enorme. Essa troca é combustível para a vida - diz.

E sem disfarçar a ansiedade, ele finaliza, confirmando uma presença muito especial.

- Já olhei no calendário e sei que vamos ter a gloriosa presença da lua cheia para deixar o cenário ainda mais bonito.

Serviço

A 2ª Mostra MaréCheia de Cinema começa na próxima quinta-feira, dia 5, e segue até domingo, dia 8 de abril. Toda a programação é gratuita e acontece na areia da praia de Ponta Negra, em Paraty. As sessões terão início sempre às 18h30.