PRESENÇA Festa da literatura

28/03/2012 09:04
Divulgação
Adônis participará da décima edição da Flip
 
Garantido: Adônis participará da décima edição da Flip

Paraty

Uma das grandes atrações da edição de 2005, o escritor espanhol Enrique Vila-Matas retornará à Flip (Festa Literária Internacional de Paraty), que realiza sua décima edição de 4 a 8 de julho de 2012.

Nascido em Barcelona (1948) o autor viveu em Paris na década de 70. Lançou sua primeira ficção em 1973 e passou a escrever artigos e ensaios para os jornais de seu país. Entre seus romances estão O Mal de Montano (2002) e Paris Não Acaba Nunca (2003).

Ao lado do britânico Ian McEwan, autor de Reparação (2001) e Sábado (2005), Vila-Matas integra o time de grandes escritores internacionais que estiveram em edições anteriores da Flip e retornam ao evento para a programação comemorativa dos dez anos.

"Escritor de escritores", como é chamado, o catalão tornou-se conhecido por costurar em seus textos diversas referências literárias e ter escritores como protagonistas em quase todos os seus romances. Na 10ª Flip, ele lançará pela Cosac-Naify seu mais novo romance Aire Dylan, cuja história de desenvolve no Mercado Municipal de São Paulo.

- Para mim, a intertextualidade é uma máquina de narrar. Se chego a um beco sem saída, vou à biblioteca, abro um livro e, quando encontro uma frase que eu sublinharia, incluo-a na narrativa, mas transformada, de modo que ela já não pertence a seu autor - disse numa entrevista dada em maio do ano passado.

- Vila-Matas é um autor que faz da literatura seu tema, mas não como pretexto para uma reflexão ensimesmada, e sim para mostrar de maneira inventiva e desconcertante como nossa vida está sempre atravessada por alguma forma de ficção - sugere o curador da Flip, Miguel Conde, acrescentando que, nos livros do autor, a literatura não se pretende nem uma forma extravagante de refinamento espiritual, nem apenas um divertimento de fim de semana, mas algo ao mesmo tempo mais fundamental e próximo de todos.

Além de McEwan e Vila-Matas, a coordenação da Flip já anunciou a participação de Jonathan Franzen (Estados Unidos) na programação 2012.

Adonis traz seus versos a Paraty

Considerado o poeta vivo mais importante da lírica árabe moderna, o sírio-libanês Adonis, radicado em Paris, também participará da décima edição da Flip.

Defensor aberto de uma postura laica, o escritor, admirado pelo estilo moderno e ao mesmo tempo elegante se diz adepto da poesia livre das amarras das instituições políticas e das obrigações religiosas. Pensador internacional, Adonis tem seu trabalho publicado em 22 países.

Primeira obra do poeta traduzida no Brasil, será lançada em junho, pela Companhia das Letras, uma antologia do escritor. Foram selecionados poemas dos três períodos da sua produção: 1954-1968, 1970-1985 e 1994-2003. A seleção e tradução foram feitas por Michel Sleiman, grande conhecedor da obra de Adonis.

Tendo emigrado para Paris, em 1980, para escapar da Guerra Civil Libanesa, foi professor de língua árabe na Sorbonne durante anos. Domina o idioma francês, se comunica bem em inglês, mas garante que só fala o árabe. "É em árabe que penso, falo e escrevo", costuma dizer o poeta.

Vencedor do Prêmio Goethe 2011, foi homenageado por ter "transposto as conquistas do modernismo europeu aos círculos culturais árabes".

Adonis se tornou conhecido com o lançamento de seu terceiro livro de poesia, Cantos de Mihyâr, o Damasceno, publicado no início dos anos 1960.

A partir de então, sua obra passou a ser considerada significativa. Em 1973, escreveu uma tese de doutorado sobre O estático e o dinâmico, que se tornou uma das fontes mais importantes de poesia árabe desde o período pré-islâmico. Recebeu, em 1977, no Festival de Struga Poetry Enings, da Macedônia, a Corona de Oro, por sua trajetória literária.