Jovens da região falam da emoção de ser mãe pela primeira vez

12/05/2012 18:21

 


   
Última atualização em 12/5/2012, às 16h40

 

 

Júlio Black
Gláucia destaca que o casal procurou a estabilidade financeira antes de aumentar a família
 
Planejado: Gláucia destaca que o casal procurou a estabilidade financeira antes de aumentar a família

 

Júlio Black

Sul Fluminense

Além de ser a segunda data mais importante para o comércio - perdendo apenas para o Natal - o Dia das Mães é lembrado pela tradição de filhos, netos, genros e noras celebrando o evento com suas digníssimas mães, sogras ou avós. Todos, pelo menos com o mínimo de discernimento para saber o que é comemorado hoje.

Menos lembradas - mas nem por isso menos importantes - são as chamadas "mães de primeira viagem", aquelas que acabaram de dar à luz ou ainda carregam dentro de si o filho ou a filha que esperam amar e se preocupar pelo resto de seus dias.

Seja planejada ou acidental, a primeira gravidez sempre traz uma grande carga de ansiedade. É o caso da estudante Natássia Guelpeli, de 22 anos, de Barra do Piraí. Grávida há pouco mais de seis meses, ela disse que sempre teve vontade de ser mãe, mas que esperava terminar antes a faculdade e se estabilizar profissionalmente - o que acabou não acontecendo. Assustada no início com a descoberta, hoje ela se diz feliz com a expectativa de ser mãe.

- A gravidez foi acidental, não estava esperando para agora. Eu e o Thomas (pai da criança) estamos montando nossa casa, já moramos juntos há cerca de um mês e vamos nos casar. Acabei trancando a faculdade, mas pretendo voltar. Apenas mudamos a ordem das coisas - disse ela.

Ela destaca que o apoio da família tem sido fundamental neste momento.

- A minha mãe e a minha sogra sempre nos apoiaram, ficaram muito felizes desde o primeiro momento. Recebemos muitos conselhos e tivemos uma grande ajuda para montarmos a casa. É muito importante o bebê nascer já na casa em que vai morar, tendo os pais sob o mesmo teto - afirmou.

Planejado ou não, Natássia analisa como é ser mãe pela primeira vez:

- Quando me descobri grávida não me senti preparada, mas ser mãe é algo natural. Agora que ele se mexe eu me sinto muito mais mãe, a maturidade acaba vindo aos poucos. Ser "mãe de primeira viagem" é diferente, mas me sinto mais segura do que há seis meses - garantiu a jovem, que sabe que o desafio mal começou:

- Acredito que vou ficar insegura quando o Arthur nascer, mas acredito que vai dar tudo certo. Vou ter ajuda e sei que vou aprender de acordo com o que for acontecendo - concluiu.



Leia mais: https://diariodovale.uol.com.br/noticias/4,56935,Jovens-da-regiao-falam-da-emocao-de-ser-mae-pela-primeira-vez.html#ixzz1uh0ZGMVc