A História de Pinheiral

 

As terras, onde hoje está localizado a cidade de Pinheiral, tiveram como primeiros habitantes, os índios da tribo dos “Coroados”, que até o século XIX, se confrontavam com os primeiros desbravadores brancos. Em 1851 foi construída a Fazenda São José do Pinheiro, propriedade do Barão de Piraí, José Gonçalves de Moraes, que a deixou como herança a seu genro José Joaquim de Souza Breves por testamento. A Fazenda São José do Pinheiro, foi uma das mais suntuosas e prósperas Fazendas de Café do Vale do Paraíba Fluminense. Não era uma simples habitação da roça, mas um palácio elegante e suntuoso como qualquer palacete da Corte. Erguida na colina cercada de montanhas, voltada para águas do Rio Paraíba do Sul. Ostentava um magnífico jardim ao seu redor. Duas escadarias de mármore laterais, levavam à varanda em frente a sala de espera, adornada com retratos de suas majestades, o Imperador e a Imperatriz, obras do pintor Cramaelstan, algumas gravuras de Horácio Vernet, mobília e objetos de decoração de apurado bom gosto.O salão nobre da Fazenda, era uma peça soberba: grandes espelhos de Veneza, ricos candelabros de prata, lustres, mobília, tudo como os que ornavam os palacetes da Corte, na capital do Império. Enfim, tudo na Fazenda era luxo e harmonia (Peregrinação pela Província de São Paulo – Augusto Emílio Zaluar) . Existiam na propriedade dois mil escravos dos quais trinta trabalhavam no serviço doméstico. Para atender esta numerosa população, havia na fazenda: farmácia, cozinhas para hóspedes e para escravos, capela, um padre e um médico.Todas as meninas aprendiam a costurar, bordar e fazer renda com perfeição. As cozinhas, as oficinas e os quartos dos negros, circundavam o terreiro espaçoso, cheio de árvores e arbustos. Havia também uma orquestra formada por negros escravos, que aprendiam a arte da música com um professor contratado pelo Comendador José Joaquim de Souza Breves (“Viagem ao Brasil”, 1865 – 1866 – Luiz e Elizabeth Agassiz).O Comendador Breves era cunhado e genro do Barão de Piraí e irmão de Joaquim José de Souza Breves, o “Rei do Café”, que foram grandes produtores de café do país, donos de milhares de escravos, navios, ilhas, fazendas, sítios, prédios, chácaras na Corte e um teatro, onde se apresentou o grande ator português, João Caetano. Foi o primeiro Prefeito de Piraí. Em 1870, com a chegada do transporte ferroviário, surgiu a Estação de Pinheiro, em terras doadas pelo Comendador. Ao seu redor, pouco a pouco foram surgindo algumas moradias. Era o início da Vila Pinheiro.Em 1879, faleceu o Comendador, sem deixar herdeiros. Seu testamento é uma prova de sentimento, caridade e bondade, pois não só deixava alforriados seus numerosos escravos, como ainda lhes doava terras para nelas viverem e tirarem seu sustento (Fazenda da Cachoeirinha – “Fazenda da Cria”) . Além disso tinha um teor filantrópico ligado a doações à igrejas, casas de saúde, apólices para custear o ensino primário e a educação religiosa católica romana e social do povo.Em 1890, através do Decreto nº 6.862 de 23 de Agosto, foram declaradas de utilidade pública, as terras da Fazenda Pinheiro, na Estação da Estrada de Ferro.No ano de 1891, sua sede foi adquirida pela Fazenda Federal.Em 1895, os moradores da Vila procuraram a Inspetoria Geral de Terras e Colonização para regularizar o domínio útil dos terrenos e fazer novos arrendamentos.A partir de 1897, a Fazenda Pinheiro foi cedida ao Ministério da Guerra, nela passando a funcionar um Hospital Militar.Em 1899, passou para o Ministério da Agricultura, que em 1909, nela instalou o Posto Zootécnico Federal de Pinheiro.No ano de 1910, foi criada a Escola Média de Agricultura, Agronomia e Veterinária de Pinheiro, que formou sua primeira turma em 1914.De 1916 à 1918, funcionou nesse local, a Escola Superior de Agricultura e Veterinária, o que nos leva a afirmar, que a primeira turma de Médicos Veterinários do Brasil, concluíu o curso em Pinheiral, em 1917, com quatro formandos: Antônio Teixeira Vianna, Jorge de Sá Earp, Moacyr Alves de Souza e Taylor Ribeiro de Melo.Através do Decreto de Lei nº 1.360, de 21 de Novembro de 1916, foi criado o Distrito de Pinheiro.De acordo com Decreto nº 12.894 de 28 de Fevereiro de 1918 a Escola Superior de Agricultura e Veterinária, foi transferida para Niterói, sendo inaugurado em Pinheiro, o Curso Complementar Patronato Agrícola, destinado à educação de menores desvalidos.No ano de 1920, o Patronato Agrícola, recebeu a visita dos Reis da Bélgica, Alberto e Elizabeth, do Presidente da República Dr. Epitácio Pessoa, do Ministro da Agricultura Dr. Simões Lopes, do Ministro da Guerra Dr. Pandiá Calógeras e outras autoridades.Em 1941, nasce o Aprendizado Agrícola “Nilo Peçanha” (Decreto nº 7.072).Em 1968, o Colégio passou a ser subordinado a UFF (Universidade Federal Fluminense).Em 1985, o antigo prédio da Fazenda Pinheiro e mais duas glebas de suas terras, foram cedidas pelo Ministério da Agricultura a esta Universidade, por 20 (vinte) anos.No ano seguinte, um incêndio de grandes proporções, destruiu parcialmente a sede da Fazenda São José do Pinheiro, posteriormente Posto Zootécnico, tendo o fato se repetido em 1990. Hoje, o Casarão encontra-se em ruínas, mas uma mobilização pró-restauração, liderada pelos “Amigos do Casarão”, com total apoio de órgãos governamentais, particulares e outros, tem se fortalecido dia a dia, aumentando a espectativa da concretização deste sonho acalentado há muitas décadas pela população de Pinheiral.O primeiro passo para a emancipação político-administrativa foi dado em agosto de 1991, quando o deputado estadual Antonio Francisco Neto encaminhou à presidência da Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, um ofício propondo a realização de um plebiscito. Uma comissão liderada pelo Dr. Aurelino Gonçalves Barbosa deu início ao movimento de emancipação. No dia 13 de março de 1994 , os eleitores compareceram às urnas votando SIM. Em 13 de junho de 1995 o governador Marcello Alencar sancionou a lei nº 2408, tornando Pinheiral uma nova cidade. Após acirrada campanha eleitoral no dia 03 de outubro de 1996 o Dr. Aurelino Gonçalves Barbosa foi eleito primeiro prefeito de Pinheiral. A cidade de Pinheiral se emancipou de Piraí em 1995, deixando de ser município para se tornar cidade. O aniversário da cidade é comemorado dia 13 de junho.


As terras, onde hoje está localizado a cidade de Pinheiral, tiveram como primeiros habitantes, os índios da tribo dos “Coroados”, que até o século XIX, se confrontavam com os primeiros desbravadores brancos. Em 1851 foi construída a Fazenda São José do Pinheiro, propriedade do Barão de Piraí, José Gonçalves de Moraes, que a deixou como herança a seu genro José Joaquim de Souza Breves por testamento. A Fazenda São José do Pinheiro, foi uma das mais suntuosas e prósperas Fazendas de Café do Vale do Paraíba Fluminense. Não era uma simples habitação da roça, mas um palácio elegante e suntuoso como qualquer palacete da Corte. Erguida na colina cercada de montanhas, voltada para águas do Rio Paraíba do Sul. Ostentava um magnífico jardim ao seu redor. Duas escadarias de mármore laterais, levavam à varanda em frente a sala de espera, adornada com retratos de suas majestades, o Imperador e a Imperatriz, obras do pintor Cramaelstan, algumas gravuras de Horácio Vernet, mobília e objetos de decoração de apurado bom gosto.O salão nobre da Fazenda, era uma peça soberba: grandes espelhos de Veneza, ricos candelabros de prata, lustres, mobília, tudo como os que ornavam os palacetes da Corte, na capital do Império. Enfim, tudo na Fazenda era luxo e harmonia (Peregrinação pela Província de São Paulo – Augusto Emílio Zaluar) . Existiam na propriedade dois mil escravos dos quais trinta trabalhavam no serviço doméstico. Para atender esta numerosa população, havia na fazenda: farmácia, cozinhas para hóspedes e para escravos, capela, um padre e um médico.Todas as meninas aprendiam a costurar, bordar e fazer renda com perfeição. As cozinhas, as oficinas e os quartos dos negros, circundavam o terreiro espaçoso, cheio de árvores e arbustos. Havia também uma orquestra formada por negros escravos, que aprendiam a arte da música com um professor contratado pelo Comendador José Joaquim de Souza Breves (“Viagem ao Brasil”, 1865 – 1866 – Luiz e Elizabeth Agassiz).O Comendador Breves era cunhado e genro do Barão de Piraí e irmão de Joaquim José de Souza Breves, o “Rei do Café”, que foram grandes produtores de café do país, donos de milhares de escravos, navios, ilhas, fazendas, sítios, prédios, chácaras na Corte e um teatro, onde se apresentou o grande ator português, João Caetano. Foi o primeiro Prefeito de Piraí. Em 1870, com a chegada do transporte ferroviário, surgiu a Estação de Pinheiro, em terras doadas pelo Comendador. Ao seu redor, pouco a pouco foram surgindo algumas moradias. Era o início da Vila Pinheiro.Em 1879, faleceu o Comendador, sem deixar herdeiros. Seu testamento é uma prova de sentimento, caridade e bondade, pois não só deixava alforriados seus numerosos escravos, como ainda lhes doava terras para nelas viverem e tirarem seu sustento (Fazenda da Cachoeirinha – “Fazenda da Cria”) . Além disso tinha um teor filantrópico ligado a doações à igrejas, casas de saúde, apólices para custear o ensino primário e a educação religiosa católica romana e social do povo.Em 1890, através do Decreto nº 6.862 de 23 de Agosto, foram declaradas de utilidade pública, as terras da Fazenda Pinheiro, na Estação da Estrada de Ferro.No ano de 1891, sua sede foi adquirida pela Fazenda Federal.Em 1895, os moradores da Vila procuraram a Inspetoria Geral de Terras e Colonização para regularizar o domínio útil dos terrenos e fazer novos arrendamentos.A partir de 1897, a Fazenda Pinheiro foi cedida ao Ministério da Guerra, nela passando a funcionar um Hospital Militar.Em 1899, passou para o Ministério da Agricultura, que em 1909, nela instalou o Posto Zootécnico Federal de Pinheiro.No ano de 1910, foi criada a Escola Média de Agricultura, Agronomia e Veterinária de Pinheiro, que formou sua primeira turma em 1914.De 1916 à 1918, funcionou nesse local, a Escola Superior de Agricultura e Veterinária, o que nos leva a afirmar, que a primeira turma de Médicos Veterinários do Brasil, concluíu o curso em Pinheiral, em 1917, com quatro formandos: Antônio Teixeira Vianna, Jorge de Sá Earp, Moacyr Alves de Souza e Taylor Ribeiro de Melo.Através do Decreto de Lei nº 1.360, de 21 de Novembro de 1916, foi criado o Distrito de Pinheiro.De acordo com Decreto nº 12.894 de 28 de Fevereiro de 1918 a Escola Superior de Agricultura e Veterinária, foi transferida para Niterói, sendo inaugurado em Pinheiro, o Curso Complementar Patronato Agrícola, destinado à educação de menores desvalidos.No ano de 1920, o Patronato Agrícola, recebeu a visita dos Reis da Bélgica, Alberto e Elizabeth, do Presidente da República Dr. Epitácio Pessoa, do Ministro da Agricultura Dr. Simões Lopes, do Ministro da Guerra Dr. Pandiá Calógeras e outras autoridades.Em 1941, nasce o Aprendizado Agrícola “Nilo Peçanha” (Decreto nº 7.072).Em 1968, o Colégio passou a ser subordinado a UFF (Universidade Federal Fluminense).Em 1985, o antigo prédio da Fazenda Pinheiro e mais duas glebas de suas terras, foram cedidas pelo Ministério da Agricultura a esta Universidade, por 20 (vinte) anos.No ano seguinte, um incêndio de grandes proporções, destruiu parcialmente a sede da Fazenda São José do Pinheiro, posteriormente Posto Zootécnico, tendo o fato se repetido em 1990. Hoje, o Casarão encontra-se em ruínas, mas uma mobilização pró-restauração, liderada pelos “Amigos do Casarão”, com total apoio de órgãos governamentais, particulares e outros, tem se fortalecido dia a dia, aumentando a espectativa da concretização deste sonho acalentado há muitas décadas pela população de Pinheiral.O primeiro passo para a emancipação político-administrativa foi dado em agosto de 1991, quando o deputado estadual Antonio Francisco Neto encaminhou à presidência da Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, um ofício propondo a realização de um plebiscito. Uma comissão liderada pelo Dr. Aurelino Gonçalves Barbosa deu início ao movimento de emancipação. No dia 13 de março de 1994 , os eleitores compareceram às urnas votando SIM. Em 13 de junho de 1995 o governador Marcello Alencar sancionou a lei nº 2408, tornando Pinheiral uma nova cidade. Após acirrada campanha eleitoral no dia 03 de outubro de 1996 o Dr. Aurelino Gonçalves Barbosa foi eleito primeiro prefeito de Pinheiral. A cidade de Pinheiral se emancipou de Piraí em 1995, deixando de ser município para se tornar cidade. O aniversário da cidade é comemorado dia 13 de junho.

fonte:http://cidadedepinheiral.blogspot.com/2009/05/historia-de-pinheiral.html o Blog da Miriam

 

Espaço Patrocinado

A SUA PROPAGANDA AQUI

ANUNCIE CONOSCO

(24) 9978-3316